Árvores



Não estou certo de o conseguir transformar em palavras, mas deixa que sejam árvores a dizê-lo em folhas perfumadas de fogo, elas pedem beijos e sorrisos como os campos de verão o fazem à chuva. Deixa-me espreitar o brilho da confissão.

As minhas árvores, contam-lhe toda a ânsia de um sentir quando chega ao seu destino; e dizem-lhe, árvores, que os meus lábios e olhos procuram agora o arrebatamento de um beijo seu.

Comentários

Maria disse…
'e de repente o corpo sabe a gente, e então se diz: eis
a verdadeira e pura poesia! pois seria, talvez,
somente a tua mão, cobrindo a folha.'

[A. Franco Alexandre]

Contigo, assim...
Tudo,
Damien disse…
Se receoso se turba na alta noite
teu peito em flor,
ao sentires um hálito em teus lábios,
abrasador,
lembra-te que invisível ao teu lado
respiro eu.

[G.A.Bécquer]

Contigo, e mais assim.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro