Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2011

Sentido de despertar

Imagem
Chega a hora maravilhosa, quando a natureza desperta do sonho e um novo mundo quebra a face terrestre. As estrelas empalidecem no céu sombrio e sobre as montanhas rastejam as névoas de um mundo em vigília. Pássaros inquietos nas copas das árvores estremecem as suas asas. O amanhecer chega rápido. Dispersam-se agora as névoas da face montanhosa e morrem em azul celeste; passa a madrugada, apresenta-se aqui o dia.

De A a B

Imagem
Após um ano de silêncio, tinha-me esquecido de como podiam soar os sapos. Pergunto-me se estaria a fazer bem em aventurar-me sozinho num caminho pouco frequentado. Fui emboscado pela beleza. Quem iria caminhar entre mim e o apelo dos sapos?

Deixa-me entrar, beleza selvagem, que eu sou um homem decidido no seu caminho de uma casa para outra.

Entre montes

Imagem
Entre montes radiantes, respira um pequeno bosque o ar perfumado de flores raras. Entre ramos brinca o vento e, para onde os ramos se estendem, vai sendo pulverizada a luz solar. E ali murmuras ao passar das horas. Sentas-te num banco de ramos e folhas entrelaçados que parecia esperar justamente por ti. Ao sentar, encontras a tua voz.

O olhar das árvores

Imagem
As árvores, para quem a escuridão é uma criança a correr dentro e fora da longa folhagem; para quem o sol é um viajante esfarrapado a contar os seus sonhos e escorregando estrada abaixo vestido de crepúsculo.

Olham para nós com a cansada e indiferente tolerância que todas as coisas imóveis possuem.

O que escrevo II

Imagem
Ela não foi. A passagem de cada dia vazio trouxe-a mais perto. Aquelas coisas que eram parte de ambos, que planeavam juntos, pedaços dela que ficavam e o dilaceravam com a precisão de um gume afiado.

O tempo encerra a sua cura – mas os anos que passam não conseguem apagar o que foi escrito no interior do corpo.

O que escrevo

Imagem
Por vezes, uma névoa de luz solar atravessa o cabelo de um estranho; por vezes a vaga expressão no rosto de um estranho pode fazer-me sentir a tua presença – pode preencher um lugar solitário com sonhos de uma vida meio-realizada.

A música suave no ar pode levar-me a ouvir o teu passo, outra vez, nas escadas. Por vezes, alguém a dançar com uma beleza inconsciente pode acelerar o meu batimento cardíaco, e um espaço vazio pode fazer-me virar à espera de te lá encontrar.