Entre montes



Entre montes radiantes, respira um pequeno bosque o ar perfumado de flores raras. Entre ramos brinca o vento e, para onde os ramos se estendem, vai sendo pulverizada a luz solar. E ali murmuras ao passar das horas. Sentas-te num banco de ramos e folhas entrelaçados que parecia esperar justamente por ti. Ao sentar, encontras a tua voz.

Comentários

Maria disse…
"Eu procurei-te e procurei-te por todos os lugares, por todos os caminhos em que andava e desandava,
uma vez ouvi os teus passos no bosque, outra vez escutei o teu riso,
mas nunca te tive entre os braços para te poder falar, para dizer-te que a minha vida ia caindo como uma gota de água,
que fazia frio e que te havia esperado sempre..." F.M.

Beijo-te,
Damien disse…
Despimo-nos no carro. Ela estendeu-se de costas e eu permaneci sentado, contemplando o seu corpo moreno com os cabelos a brilhar sobre a areia, e desejando-a. É “ela”, de todas as formas e entre todas as coisas, o meu mar.

Beijo-te,
Anónimo disse…
Vim aqui deixar-lhe uma informação que não tem a ver com o conteúdo desta entrada (que está excelente, já que se fala nisso). Era só para dizer que lhe deixei um selo, que está no meu blogue.
Damien disse…
Muito obrigado pelo elogio, Cármen!

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro