Natural de qualquer parte III


Pisam a floresta escura, cuja primitiva disposição desde sempre projecta a sua sombra; ponderam a corrente e as marés do oceano, observam as variadas formas de vida que os rodeiam: as aves que assombram florestas e planicies, os peixes que nadam, os mares, os rios, as correntes e os ângulos das suas margens; espreitam a vida que decorre o espaço e o seu tempo.

Comentários

Maria disse…
Amor à primeira vista

Ambos estão convencidos
que os uniu uma paixão súbita.

Julgam que por não se terem encontrado antes,
nada entre eles nunca ainda se passara.

Muito os admiraria
saber que desde há muito
se divertia com eles o acaso.

Ainda não completamente preparado
para se transformar em destino para eles,
aproximou-os e afastou-os,
barrou-lhes o caminho
e, abafando as gargalhadas,
lá seguiu saltando ao lado deles.

Houve marcas, sinais,
que importa se ilegíveis.

Punhos de poeta e campainhas
onde a seu tempo o toque
de uma mão tocou o outro toque.

WISLAWA SZYMBORSKA

Foi exactamente assim.
Beijo-te e abraço-te,
Damien Hamson disse…
"Era preciso comecar daí: céu.
Janela sem encosto, sem moldura, sem vidraça.
Abertura e nada mais, porém muito bem aberta.
Não preciso aguardar a noite amena:
nem levantar a cabeça
para perscrutar o céu."

Beijo-te,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Aqui mesmo