O olhar das árvores


As árvores, para quem a escuridão é uma criança a correr dentro e fora da longa folhagem; para quem o sol é um viajante esfarrapado a contar os seus sonhos e escorregando estrada abaixo vestido de crepúsculo.

Olham para nós com a cansada e indiferente tolerância que todas as coisas imóveis possuem.

Comentários

Maria disse…
"Da árvore encarnada, meio dentro da memória, apenas a folhagem salta pelos olhos e se espalha pelo rosto, o que me põe a braços com as palavras. As raízes entram-lhe no sangue, abrem-lhe internos focos de paixão, não tarda que penetrem pela terra e cujos intestinos vão buscar com que saciar-lhe os olhos - as visões ascendem tumultuosamente, como seiva a ferver, creio que por vezes trazem pedra misturada. Lembro-me de o ver assim, todo ele tomado pela força da folhagem.

Luís Miguel Nava

Apaixonadamente,
Damien disse…
"Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo o dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.

E então serás eterno."

[Cecília Meireles]

Apaixonadamente,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro