O beijo II



A boca, meio arredondada para uma canção, estremece ao inspirar; eu já me encontro em ti perdido. Os lábios, de carne tingidos, aos meus que estremecem: rapidamente estes lábios os meus encontram, com a tentadora diversão; e assim tudo começa.

É assim a concessão de um beijo? O sentir não é mais do que o acender no corpo de um fogo não transitório, um desejo inflamado.

Comentários

Maria disse…
faz com que os beijos cheguem à altura dos ombros
e com que os ombros subam à altura dos lábios,
faz com que os lábios cheguem à altura dos beijos.

[R.Carvalho]

Amo-te.
Damien disse…
Procura a maravilha.

Onde um beijo sabe
a barcos e bruma.

No brilho redondo
e jovem dos joelhos.

Na noite inclinada
de melancolia.

Procura.

Procura a maravilha.

[E.de Andrade]

Amo-te.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro