O beijo IV



Doce inalar de cada suspiro, enquanto corpo com corpo se une em delícia encontrada, recebida e entregue. Para mim a grata prova desses teus beijos; o beijo rápido ou prolongado, feroz, suave, em igual prazer. Mas nota, que sejam todos teus. Com o reembolso dos teus lábios; variante arrebatar que deles flui, como variants a conferir.

Deixa acontecer o primeiro, o imutável, e observa essa lei pela qual se expressa a fortuna: "por cada beijo oferecido, cada um deles pode em troca receber outros tantos. São as reinvidicações dos vencedores, a cada amantes aplicadas."

Comentários

Maria disse…
Duas bocas descobrem o veludo incandescente
e saboreiam o sabor perfeito de um fruto liso
que é um sumo do universo. Com a sua espuma constante
os amantes tecem uma abóbada leve de seda e espaço.

Vivem num volume cintilante o presente absoluto.

[A. Ramos Rosa]

Assim mesmo, contigo.
Tudo,
Damien disse…
Contigo aprendi coisas tão simples como
a forma de convívio com o meu cabelo ralo
e a diversa cor que há nos olhos das pessoas
Só tu me acompanhastes súbitos momentos
quando tudo ruía ao meu redor
e me sentia só e no cabo do mundo

[Ruy Belo]

Contigo aprendo.
Tudo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro