À entrada


Abbas Kiarostami - Sleepers (2001)

A longa meia-noite já está passada e nós permanecemos, a chuva cai rápida, estamos agora à entrada, e a chuva a cair. Irá a vizinha vigilante ouvir, enquanto sussurramos, está ela por perto mantendo colado à porta o ouvido infecto? Mas temos tanto para dizer, enquanto nos demoramos ao escuro da porta, e ali ficamos até um novo dia.

Não anda ninguém na avenida, ninguém testemunha o abraço, o beijo à entrada, o subir juntos.

Comentários

Maria disse…
Eu ofereço-te o
amor a terna intimidade o riso e essa suave conversa que
prolonga o acto da carne.

[Grécia, séc. II a.C.]

O chegar e permanecer.
Contigo,
Damien disse…
Quando estás vestida,
Ninguém imagina
Os mundos que escondes
Sob as tuas roupas.

[Manuel Bandeira]

palpitam os nossos mundos

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro