Como areia entre dedos



Andavam pela areia – três amigos – para ver as gaivotas mergulhar, enquanto aos seus pés murmuravam as águas, ondulando; em estado de felicidade observam o branco das ondas que chegam e partem de seguida.

Sabia que não era ele. O coração afundou-se, viu bem o seu rosto quando ela estava perto, estavam todos bem, o amor escreveu silenciosamente a sua própria história. Deixou-os lá e saiu despercebido. O sonho tinha acabado.

Comentários

Maria disse…
'Assim, a minha vida é uma fuga e perco tudo e tudo é do esquecimento ou do outro.'

Jorge Luis Borges

Ainda há quem se tenha a si próprio como o seu pior inimigo. Eu, por exemplo, 'era para ter morrido e afinal renasci', contigo.
Beijo-te
Damien disse…
Que pode uma criatura senão,
entre outras criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

[Carlos Drummond de Andrade]

Eu considero-me um dos meus melhores amigos. Embora, por vezes, me arrelie comigo. Como poderia eu não te amar?
Beijo-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro