Respiro


A noite cai e desaparece com a brisa, perde-se no virar da maré. A manhã desliza entre árvores espactrais; e eu, que acordei antes das abelhas, sou arrebatado pelo som do colapso das folhas. Levanto os lábios, que se descolam lentamente, e fico de boca entreaberta como um gato curioso. Respirando o respirar do dia e sentir em mim o profundo, o divino na luz de um olhar.

Comentários

Maria disse…
"Estou sem fôlego nos teus braços, pairas sobre mim, as tuas asas circundam-me, movem-se lentamente, pairam, pairam…
Espreito a tua forma, a tua silueta, a curva do teu peito; espreito mais, tu agarras a nossa sombra." F. M.

E beijo-te,
Damien disse…
Juntos no esplendor nocturno e a observar, como pacientes da natureza, as águas em movimento de puro circundar as costas humanas.

E abraço-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro