História lunar


A água ondula suavemente em direcção ao corpo, curva-se com ele. Suavemente, a luz lunar que a água leva e deixa ao abandono. A criança de um povo a oriente, o pensamento de uma outra raça.
O que faz ela neste pálido cenário?

“A lua é sempre a mesma”, diz. Escreve na água a sua história, fica por um momento e desaparece.

Comentários

Maria disse…
"Não sei como dizer-te que a minha voz te procura
e a atenção começa a florir, quando sucede a noite
esplêndida e casta.
Não sei o que quer dizer, quando longamente teus pulsos
se enchem de um brilho precioso
e estremeces como um pensamento chegado. quando,
iniciado o campo, o centeio imaturo ondula tocado
pelo pressentir de um tempo distante,
e na terra crescida os homens entoam a vindima
- eu não sei como dizer-te que cem ideias,
dentro de mim, te procuram.

Quando as crianças acordam nas luas espantadas
que às vezes se despenham no meio do tempo
- não sei como dizer-te que a pureza,
dentro de mim, te procura."

Herberto Helder

Beijo-te,
Damien Hamson disse…
"vem estender-te onde os dedos são aves sobre o peito
esquece os maus momentos a falta de notícias a preguiça
ergue-te e regressa
para olharmos a geada dos astros deslizar nas vidraças
e os pássaros debicam o outono no sumo das amoras"

[Al Berto]

Beijo-te,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Aqui mesmo