Amador



“I'm not afraid of dying; I'm afraid of pain.”
(Amateur, Hal Hartley)

Comentários

Anónimo disse…
What can I say?...
I'm not afraid of pain. I'm afraid of not living and not feeling nothing...
You know... I have a thing about things. Some people, they don’t have a thing about nothing.

Abraço-te,
Damien disse…
Every man is afraid of something. That's how you know he's in love.

Abraço-te,
Damien disse…
Que será feito daqueles restos de saudade,
destes medos antigos sempre novos?
Em que voltas desaparecerão os sonhos
que enfeitaram de flores o quintal antigo?
Por que caminhos irão andar aqueles ágeis pés?
Sobretudo, como se esvaziará de som a velha voz
e onde afundará o último verde daquela flama esguia?


In: RENAULT, Abgar. Obra poética. Rio de Janeiro: Record, 1990. Poema integrante da série O Rio Escuro.

Beijo-te,
Anónimo disse…
Desde que nos deixaste o tempo nunca mais se transformou
Não rodou mais para a festa não irrompeu
Em labareda ou nuvem no coração de ninguém.
A mudança fez-se vazio repetido
Depois o tempo nunca mais se abeirou da promessa
Nem se cumpriu
E a espera é não acontecer — fosse abertura —
E a saudade é tudo ser igual.

Daniel Faria

Abraço-te com saudades,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro