Identidade



Algo te identifica com o que se aloja em ti, a faculdade de voltar: e aí, o teu mais grande pesar. Algo te separa do que fica contigo, a escravidão de não partir. Dirijo-me às individualidades colectivas, tanto como às colectividades individuais e aos que, entre umas e outras, marcam o passo imóvel no rebordo do mundo. Algo tipicamente neutro, inexoravelmente neutro, interpõem-se entre o ladrão e a sua vítima, entre cirurgião e paciente. O objecto furtado tem um peso indiferente, e o órgão operado a sua gordura triste.

Haverá algo de mais desesperante na terra, do que a impossibilidade do homem?

Comentários

Anónimo disse…
Sim, há... A ausência de liberdade.
Liberta o homem, e ele criará!

Abraço-te,
Anónimo disse…
O amor é o homem inacabado.
Paul Eluard

Mais um abraço,
Anónimo disse…
Anda ligeiro, não mais repouses, coração,
que a liberdade sofre e chora à nossa espera.

E. Bettencourt

[ainda...-te, tudo.]
Anónimo disse…
Being deeply loved by someone gives you strength; loving someone deeply gives you courage.

...-te,
08/09!
Damien disse…
O amor não se mede
pela liberdade de se expor nas praças
e bares, em empecilho.
É claro que isto é bom e, às vezes,
sublime.
Mas se ama também de outra forma, incerta,
e este o mistério:

- ilimitado o amor às vezes se limita,
proibido é que o amor às vezes se liberta.

(Affonso Romano de Sant'Anna)

...-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro