Resumo



Subo as escadas e dou-me conta das paredes untadas, carne dos muros, como se estes fossem elas mesmas e eu não pudesse transpô-las e, dessa forma, atravessar todos os edifícios, observando as suas vergonhas e orgulhos, os seus amores e melancolias, os seus crimes e nascimentos. Uma necessidade imperiosa de ser explicada, dita, contada cada história, resumir este silêncio.

Comentários

MJ disse…
...
brota do fundo do silêncio
outro silêncio, aguda torre, espada,
e sobe e cresce e nos suspende...

O. Paz

Lido e partilhado hoje.
Abraço-te.
Damien disse…
beberemos café
sorriremos à pessoas e às coisas
caminharemos lado a lado os ombros tocando-se
(se estivesses aqui!)
em silêncio olharíamos a foz do rio
é o brincar agitado do sol nas mãos das crianças
descalças
hoje

Al Berto

Abraço-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro