Identidade II



Algo jaz no campo, em algum sítio, numa terra esquecida; um pouco de pó abandonado.

Comentários

Anónimo disse…
Andamos todos presos à ilusão de que escolhemos como viver. Mas apenas alguns sabem escolher como morrer. Só esses são verdadeiramente livres. Mesmo quando estão presos.

Abraço-te.
Damien disse…
Sim, ando preso à ilusão do que escolho. Continuarei por cá quando esta desaparecer, mas terei então desistido de viver.

Abraço-te.
Anónimo disse…
Quando a ilusão desaparece, vemos o Ser [ou a Realidade] tal como existe. E isso não é desistir, é apenas saber que se pode Ser mais e melhor. E ir Mais Além.

Outro abraço forte,
Damien disse…
Aguardarei então por esse dia em que possa Ser mais e melhor e ir mais além; o dia em que escolherei como morrer; o dia em que me libertarei de mim. Irei mais além então, pois há caminhos que nunca se esquecem.

Abraço-te forte,
Anónimo disse…
Não aguardes, nem esperes. Há coisas que nunca são oferecidas mas sim conquistadas, diariamente. Caminha até esse dia.

Abraço-te, a caminhar...
Damien disse…
Espero não no sentido de me ser oferecido ou cair do céu, mas sim no sentido de, a caminhar, lá chegar, ficar e ir mais além. Será uma conquista de um infinito de possibilidades. Sim, caminho.

E abraço-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro