O mistério dos bancos na madrugada



A luz sobre o medo dos quartos fechados. O mistério dos bancos na madrugada, das folhas em branco, das palavras apenas começadas. Por vezes acontece sobre o mar, sobre a noite, em caminhos perdidos, ouvir o teu respirar. E amanhece, incendeia, uma manhã onde começa um mundo puro como nunca.

Para trás, ao meio-dia de uma paisagem, fica o obscuro passado.

Comentários

Maria disse…
De mais ninguém, senão de ti, preciso:
Do teu sereno Olhar, do teu Sorriso,
Da tua Mão pousada no meu ombro.
Ouvir-te murmurar: - «Espera e confia!»
E sentir converter-se em harmonia,
O que era, dantes, confusão e assombro.

[C.Queirós]

A caminhar, contigo.
Tudo,
io disse…
Como me dizia ontem uma amiga a propósito da sua vida povoada de infantes de tenra idade e que, não me perguntem porquê, me fez lembrar do vosso amor: "estou em maré de esperança no futuro, já que do passado não há muito a esperar." Beijinhos amigos e sorridentes
Damien disse…
Livro do meu amor, do teu amor,
Livro do nosso amor, do nosso peito...
Abre-lhe as folhas devagar, com jeito,
Como se fossem pétalas em flor.

[Florbela Espanca]

Tudo,
Damien disse…
uma esperança, um bater de asas, a primeira gota...

beijos amigos que sorriem para ti, amiga Io

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro