Perdidos e achados



Da mesma qualidade que o sol. Da mesma qualidade que a tua cidade, a tua cidade de vidros incontáveis, idêntica e distinta, mudada pelo tempo: ruas que desconheço e praças antigas povoadas de pombos, a praça em que uma noite nos beijámos.

Da mesma qualidade que a tua expressão, após os anos que entre tanto passaram, esta noite, ao olhar-me, sentida nos teus lábios. Amor com qualidade de vida, sem exigências de futuro, presente ou passado, mais poderoso que a vida; perdido e encontrado. Encontrado, perdido.

Comentários

Maria disse…
Jorro de luz: um pássaro
a cantar no terraço.
Amanhece, nos vales e montes
do teu corpo.

Fogo adormecido na noite,
água que ri desperta.

Penso em jardins:
ser vento...
ser sol que abra caminho em tua espessura

- àgua à sombra - o teu corpo.
Calmaria. Palpita apenas
o vasto meio-dia.
Entre as tuas pernas, flui o tempo...

Por um instante o tiveste
na palma da mão

Apenas marulhar,
aroma apenas, branca,
estendes-te em minha cama

noite dos corpos
maré do desejo

[O.Paz]

Reencontrada, toda.
Tudo, Contigo.
Damien disse…
Desfio esperas e no meu regaço
silencio suspiros,
e é na brancura de um certo vazio
que ensaio abraços
perdidos na noite
que se deita a meu lado

E fico pensando
num pássaro que risca
breve o imenso espaço,
quisera eu planar
e voar assim também…

[Angela Santos]

Reencontrado, todo um universo.
Contigo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro