Como me tens



Eu procurei-te e procurei-te por todos os lugares, por todos os caminhos em que andava e desandava, uma vez ouvi os teus passos no bosque, outra vez escutei o teu riso, mas nunca te tive entre os braços para te poder falar, para dizer-te que a minha vida ia caindo como uma gota de água, que fazia frio e que te havia esperado sempre, nu e amante como me vês, como me tens encostado ao teu peito.

Comentários

Maria disse…
Sem limites

O meu corpo estende o corpo da mulher, enrola-se nas volutas da sua música silenciosa, adere às paisagens brancas do seu sono completo. Imóvel, não procuro palavras, nem as mais leves e transparentes: sinto-me fluído, extremamente aberto. Conheço as sensações da mulher nua: água, terra, fogo e vento. Conheço-a e amo-a através delas, numa relação de felicidade intensa e ao mesmo tempo imponderável. O sono da mulher é de horizontes múltiplos e em si germina o centro abrindo o aberto sem limites.

[A.Ramos Rosa]

Sou, contigo.
Tudo,
Damien disse…
Condenado estou a te amar
nos meus limites
até que exausta e mais querendo
um amor total, livre das cercas,
te despeça de mim, sofrida,
na direção de outro amor
que pensas ser total e total será
nos seus limites da vida.

O amor não se mede
pela liberdade de se expor nas praças
e bares, em empecilho.
É claro que isto é bom e, às vezes,
sublime.
Mas se ama também de outra forma, incerta,
e este o mistério:

- ilimitado o amor às vezes se limita,
proibido é que o amor às vezes se liberta.

[Affonso Romano de Sant'Anna]

Ilimitado, contigo.
Tudo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro