Como um lago



Embriagado de te amar e de te espreitar. Luz branca e negra e vermelha e viva, nas tuas mãos lentas, uma eternidade nos teus olhos, silêncio nos teus lábios. Amo-te, embriagado nos teus olhos, no silêncio, na noite viva sem lágrimas, noite viva como um lago sem medo.

Comentários

Maria disse…
Acariciar o ombro,
acariciar a onda,
acariciar a nuvem,
acariciar a rocha.

A mão com a luz
sobre a alma com forma.
Melodia do tacto,
eternidade redonda.

Sinto, quando me dás
tua mão...

Sentes, quando te dou
minha mão, como se um vivo
rio de claridades
limpasse teu espírito?

[J.R.Jímenez]

Nas tuas mãos lentas, sou.
Tudo,
Damien disse…
Um homem e uma mulher que tinham olhos e coração e fome de ternura
e souberam entender-se sem palavras inúteis
Apenas o silêncio A descoberta A estranheza
de um sorriso natural e inesperado

Não saíram de mãos dadas para a humidade diurna
Despediram-se e cada um tomou um rumo diferente
embora subterraneamente unidos pela invenção conjunta
de um amor subitamente imperativo

[Daniel Filipe]

Inventámos o amor com carácter de urgência.
Tudo,

Mensagens populares deste blogue

Aqui mesmo

Lua em branco

Limpeza