O rosto



Cada um deve entrar em si próprio, a cada lento respirar, com as suas excepções à regra, com as suas abstinências. A luz deve perder-se ali, onde cai a eternidade.

Recordo a morte dos solitários do mundo e de todos os desejos. Eles sentiram a máscara e a falsificação da máscara: o rosto das pequenas e inúteis cerimónias que nos comovem.

Comentários

Maria disse…
Em quem pensar, agora, senão em ti?

Tu, que me esvaziaste de coisas incertas, e trouxeste a manhã da minha noite. É verdade que te podia dizer: "Como é mais fácil deixar que as coisas não mudem, sermos o que sempre fomos, mudarmos apenas dentro de nós próprios?

"Mas ensinaste-me a sermos dois; e a ser Contigo aquilo que Sou, até sermos Um apenas no amor que nos une, contra a solidão que nos divide. Mas é isto o amor: ver-te mesmo quando te não vejo, ouvir a tua voz que abre as fontes de todos os rios, mesmo esse que mal corria quando por ele passámos,
subindo a margem em que descobri o sentido de irmos contra o tempo, para ganhar o tempo que o tempo nos rouba.

Como gosto, meu amor, de chegar antes de ti para te ver chegar: com a surpresa dos teus cabelos, e o teu rosto de água fresca que eu bebo, com esta sede que não passa.

Tu: a primavera luminosa da minha expectativa, a mais certa certeza de que gosto de ti, como gostas de mim, até ao fundo do mundo que me deste.

[N.Júdice]

Amo-te muito.
Tudo, Contigo.
Damien disse…
Por isso os meus dias, mesmo os banais,
são instantes únicos
que busco olhar na sua inteireza
para viver à proa o tempo que é o meu,
tempo transversal que me atravessa
tempo a dimensão que me interpela
a viver instantes de total urgência.

[Angela Santos]

Para viver o tempo que é o nosso.
E viver este amor de total urgência.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco