Tens asas



Despertaste em sobressalto, febril, caindo para o lado vazio da tua cama, tacteando com manos que sentem a ausência. Sentiste então a vida agarrar-te e preencher o vazio nas tuas veias, os teus músculos, a ânsia. Ardes.

Tornas-te pleno nela, consumas-te e dizes o seu nome: abro-me a ti em carne viva. A minha pele morre à espera da tua, a minha boca ansiosa. E ao chegar aos teus lábios, com o teu sabor, o fogo lento da tua língua, as minhas mãos em ti numa fértil carícia...

Comentários

Maria disse…
O meu corpo entende o corpo da mulher, enrola-se nas volutas da sua música silenciosa, adere às paisagens brancas do seu sono completo. Imóvel, não procuro palavras, nem as mais leves e transparentes: sinto-me fluido, extremamente aberto. Conheço as sensações da mulher nua: água, terra, fogo e vento. Conheço-a e amo-a através dela, numa relação de felicidade intensa e ao mesmo tempo imponderável. O sono da mulher é de horizontes múltiplos e em si germina o centro abrindo o aberto sem limites.

[A.Ramos Rosa]

Tudo é fácil, tudo é fluido...
Contigo,
Damien disse…
O amor que sinto
é um labirinto.

Nele me perdi
com o coração
cheio de ter fome
do mundo e de ti
(sabes o teu nome),
sombra necessária

[J.Gomes Ferreira]

Tudo é tudo, contigo.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Aqui mesmo