De luz tecido



E viste, como nas farsas da vida, que estes bonecos como os humanos, são movidos por cordéis grosseiros, que são os interesses, as paixonetas, os enganos e todas as misérias de sua condição: atam uns aos seus pés e levam a tristes andanças; atam outros às suas mãos, que trabalham e lutam com raiva, furtam com astúcia, matam com violência. Mas entre todos eles desce por vezes do céu um fio subtil, tecido com luz, que aos humanos, como a estes bonecos, põe asas e lhes diz que nem tudo é farsa, que há algo divino na nossa vida que é real e eterno e não pode acabar quando a farsa acaba.

Comentários

Maria disse…
Ascensão

Nunca estive tão perto da verdade.
Sinto-a contra mim,
Sei que vou com ela.

Tantas vezes falei negando sempre,
esgotando todas as negações possíveis,
conduzindo-as ao cerco da verdade,
que hoje, côncavo tão côncavo,

sou inteiramente liso interiormente,
sou um aquário dos mares,
sou apenas um balão cheio dessa verdade do mundo.

Sei que vou com ela,
sinto-a contra mim, -
nunca estive tão perto da verdade.

*

Amo-te muito, meu amor, e tanto
que, ao ter-te, amo-te mais, e mais ainda
depois de ter-te, meu amor. Não finda
com o próprio amor o amor...

[Jorge de Sena]

Tudo, e ainda mais.
Contigo,
Damien disse…
Vem, serenidade!
Vem cobrir a longa
fadiga dos homens,
este antigo desejo de nunca ser feliz
a não ser pela dupla humidade das bocas.

Vem, serenidade!
faz com que os beijos cheguem à altura dos ombros
e com que os ombros subam à altura dos lábios,
faz com que os lábios cheguem à altura dos beijos.

[Raul de Carvalho]

Ascendo, contigo.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro