Avançamos



Amores, rugas, alegrias, duelos, criaturas, criaturas, línguas de fogo no solsticio da terra. Todas as festas gravadas em segredo; peitos humanos, música, e onde se exasperam vozes cativas.

Silêncio, nem se move, nem diz nada, afunda-se a palavra, levanta-se o sentir num único gesto, adere-se-nos o amanhecer. Toda a terra, o bosque à nossa direita, a cidade profunda à nossa esquerda, em pleno centro do verbo, avançamos na ponta do mundo.

Comentários

Maria disse…
Ter tempo e mundo suficientes. Onde ir, pensaríamos sentados.

Eu, a desejar cem anos olhos nos olhos teus, duzentos a sentir-te;

Talvez trinta mil para tudo quanto resta.

Mil anos pelo menos, para cada pedaço de ti.


[F.M.]

E mais ainda, tudo.
Contigo,
Damien disse…
Foi para ti que criei as rosas.
Foi para ti que lhes dei perfume.
Para ti rasguei ribeiros
e dei ás romãs a cor do lume.

[Eugénio de Andrade]

E sei hoje que foi por ti que estou aqui.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro