Nas tuas mãos




Nas tuas mãos o céu diurno. A nossa sublime beleza quando ardemos, uma existência que desafia, que ultrapassa toda a descrição de amor.

Comentários

Maria disse…
Agora podemos tocar, enlear, comprimir ou distender os corpos. Construir formas com eles e deixá-los assim... Respiramos ao mesmo tempo - como uma só engrenagem, única e bela...

... teu nome, pronuncia teu nome... diz-me o teu nome de ontem, quando éramos o reflexo exacto um do outro. toca-me o rosto com o teu nome, ou pousa-o sobre as mãos; debruça-te para dentro de mim e deixa que o segredo do tempo fulmine...

Tudo, contigo.
Damien disse…
Amor de minhas entranhas, morte viva,
em vão espero tua palavra escrita
e penso, com a flor que se murcha,
que se vivo sem mim quero perder-te.
O ar é imortal. A pedra inerte
nem conhece a sombra nem a evita.
Coração interior não necessita
o mel gelado que a lua verte.

Porém eu te sofri. Rasguei-me as veias,
tigre e pomba, sobre tua cintura
em duelo de mordiscos e açucenas.
Enche, pois, de palavras minha loucura
ou deixa-me viver em minha serena
noite da alma para sempre escura.

[Garcia Llorca]

Tudo, contigo.

Mensagens populares deste blogue

Deslamento

Lua em branco

A Conformidade do Rebanho