Vento



Igual a este vento, quero entrar onde descansámos os nossos corpos de verão; chegar; ser figura do meu pensamiento de ti, na tua presença; carne aberta ao vento, lugar de amor. Tu -quietude, lua em silêncio-, deitada no nosso quarto. E eu a entrar como água serena, inundar-te todo o corpo e, inteiro, cair assim por dentro, ver-te tremer, brilhar entre nós, incendiando-te no meu corpo, iluminando a minha carne toda, carne de vento.

Comentários

Maria disse…
eles amam-se, uma pessoa ama as vezes que são precisas, precisas para ser feliz...
chama-se a isso emoção, a força que a emoção tem,

(com que então a emoção é isso...)

respira comigo...

[samuel beckett in, o inominável]

Assim, sabes?... Muito, tudo.
Damien disse…
enquanto sentes que o teu corpo
cresce
por dentro do mundo
na minha mão fechada

[M.T. Horta]

amo-te muito

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Do meu universo