A liberdade completa


Stehn Raupach

Dormes dourada e despida. Dorme também o continente: o amor em repouso, um lombo animal na espuma. Nu, quero esse nome que te oiço na boca e esse mapa de veias onde não me extravio.
O amanhecer, que nos deixou a noite com as suas mordidelas, completa a liberdade entre os dois, vida há pouco começada.

Comentários

Maria disse…
A nossa vida, como repertório de possibilidades, é magnífica, exuberante, superior a todas as historicamente conhecidas. Mas assim como o seu formato é maior, transbordou todos os caminhos, princípios, normas e ideais legados pela tradição. É mais vida que todas as vidas...

Surpreendente condição a da nossa vida! Viver é sentir-se fatalmente forçado a exercitar a liberdade...

[Ortega y Gasset]

e,

Liberdade não conheço outra senão a liberdade de estar preso a alguém
Cujo nome não posso ouvir sem um calafrio;
Alguém por quem me esqueço desta existência mesquinha,
Por quem o dia e a noite são para mim o que queira,
E o meu corpo e espírito flutuam no seu corpo e espírito
Como troncos de árvore perdidos que o mar submerge ou levanta

Livremente, com a liberdade do amor,
A única liberdade que me exalta,
A única liberdade por que morro.

Tu justificas a minha existência...

[L.Cernuda]

Sim, tu.
Tua,
Damien disse…
É na escura folhagem do sono
que brilha
a pele molhada,
a difícil floração da língua.

[E. de Andrade]

Eu, na tua pele.
Teu,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro