Tempo #7



E agora, são os teus olhos: os olhos onde guardas o amanhecer; onde mato a sede. Estão mudos os lábios já beijados por uma vida nova. E um bater de coração e um peito amanhecido. Depois? Depois, a mão: a mão marcada pelo fogo.

Esta nova vida. Sim: outra vida. Distinta. Uma árvore: algo que olha o tempo, por uma eternidade.

Comentários

Maria disse…
Amanhece...

Saí descalço a pisar os caminhos,
a sentir a geada em minha carne nua.

Tanta luz, tanta vida, tão verde canto da erva
Tão feliz criação erguida ao mais alto cume
Sinto o tempo passar e perder-se e só fora de mim se detém
E o universo parece que está encantado

Tanta luz, tanta vida, um tão frágil silêncio
Tantas coisas eternas
Tanta luz, caminhos tão abertos
Tanta vida

[J.Hierro]

A vida toda.
Tudo,
Damien disse…
O cheiro da terra e a singeleza
do que vejo e sinto
levam-me ao fundo
da estranha certeza
de que há um lugar
onde eu já respiro

Lá nesse lugar
onde o coração pressente a batida
e a vibração do que eu sinto ser
essa outra forma de sentir a vida,
vida inteira ter.

[Angela Santos]

Respiro-te.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro