Coisas em comum



As coisas comuns da vida - o ar, o sol, a chuva; elas vão e vêm sem nos solicitar consentimento. Elas vão, e regressam uma outra vez. E o que guardamos entre mãos, o que não se pode comprar, ultrapassa-nos o corpo. É nosso o que se sente e o prazer de o sentir.

As coisas especiais do viver, temos o enorme previlégio de as ter.

Comentários

Maria disse…
"Hoje sinto uma tristeza muito grande. Esteve a alastrar dentro de mim o dia todo. Uma tristeza diferente da de ontem.

Todas as coisas do mundo parecem negar a morte da tia. Mas o mundo nunca será o mesmo sem a tia.

Um vazio no peito, preenchido de dor... mas quando a dor se esgotar?"

[mano]

"há muitas maneiras de pensar nesta dor,
nesta ferida que tarda em ir,

eu digo que é a Primavera a fazer campo na minha dor,
no meu luto...

eu sei, é a Primavera que chega, o seu anúncio,
a manifestação da sua força,

é este tempo em flor que devo aos meus vivos,
devo-lhes uma primavera inusitada,
a espuma, o incenso, a flor,

vou cumpri-la devagar, cândida, doce e deslumbradamente

como uma promessa, um rasto de vida,

coisas de vivos."

Abraço-te forte,
Damien disse…
"Quando estamos muito doentes, quando existe a possibilidade de não voltarmos a levantar-nos da mesa branca, é impossível não sentir a tristeza de partir antes do tempo; seguiremos com o último olhar para uma janela, esperando as últimas notícias."

Abraço-te forte,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro