O compasso



As palavras que guardamos com o bater do coração, nunca são lançadas ao vento.

A história do sentir e contada ao homem em palavras incendiadas; fica por contar outra história, profunda demais para ser nomeada. Por detrás das palavras escritas, onde está a nossa força, lá em cima, onde o ar é éter, afiado gume, em baixo, na natureza profunda: o fluxo, o sempre fluir, o ritmo, o compasso, a vida.

Comentários

Maria disse…
- E o poema faz-se contra o tempo e a carne.

[H.H.]

E assim contigo.
Tudo,
Damien disse…
O suor é um óleo suave, as mãos dos sobreviventes
se enlaçam,
os corpos hirtos adquirem uma fluidez, uma inocência, um perdão
simples e macio...

Havemos de amanhecer.
O mundo se tinge com as tintas da antemanhã
e o sangue que escorre é doce, de tão necessário
para colorir tuas pálidas faces, aurora.

[C.D.de Andrade]

Havemos de amanhecer assim.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro