Tempus fugit I



Ele não irá dizer que a sua vida foi em vão, a tranquilidade esconde-lhe o desconsolo; mas sabe bem que, nesta terra cansada, em redor de cada ilha de felicidade há um mar de dor – e passam os dias.

Observa as suas esperanças cintilando ao longe na noite, em tempos radiantes e iluminadas na sua juventude, que o orientaram através dos anos para um amanhecer real; mas deixa-as partir – e passam os dias.

Comentários

Maria disse…
Existe, em nós, um limbo interior; um vago sentimental e original que nos dá a faculdade mitológica de idealizar todas as coisas.

Se fôssemos um ser definido, seríamos então um ser perfeito, mas limitado, materializado como as pedras. Seríamos uma estátua divina, mas não poderíamos atingir a Divindade. Seríamos uma obra de arte e não vivente criatura, pois a vida é um excesso, um ímpeto para além, uma força imaterial, indefinida, a alma, a imperfeição.

Ardemos num incêndio de esperança, para que reste de nós uma lembrança, um fumo que sobe e não se apaga.

[Teixeira de Pascoaes]

A vida, contigo.
Tua,
Damien disse…
Nós, imitando os deuses,
Tão pouco livres como eles no Olimpo,
Como quem pela areia
Ergue castelos para encher os olhos,
Ergamos nossa vida
E os deuses saberão agradecer-nos
O sermos tão como eles.

[Ricardo Reis]

A vida contigo.
Teu,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco