Tia amada mãe



Desapareceu na madrugada de domingo uma mãe a quem a lei designou de tia. Mas a lei é isenta de amor; a lei não ama como ela amou os seus filhos, e a lei não retribui com o amor que estes lhe deram.

Desapareceu assim uma tia sentida mãe, uma tia amada mãe.

Comentários

Maria disse…
O amor paciente, repleto de bondade,
o amor que desconhece inveja e não ostenta orgulho,
o amor sem vaidade, que descura o próprio interesse,
e não se irrita e não suspeita mal,
o amor que não colhe alegria da injustiça, mas se alegra com a verdade;
tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor jamais acabará...

Agora vemos por um espelho, e de maneira obscura, o que depois veremos face a face.
Agora conheço apenas uma parte, mas então conhecerei
conforme sou conhecido.

Agora permanecem fé, esperança, amor, todos juntos.

Mas o maior de todos é o amor.

in, Hino Da Primeira Carta Aos Coríntios

Tia amada mãe, o nosso amaor jamais acabará.
Saudades,
Damien disse…
A dor não termina e é lenta a passagem do sangre ao repouso, levas a alma derramada pelo caminho, a angústia que me queima os olhos, à procura da palavra certa, ofereço-te a sombra, a paciência do mundo onde esqueço a espera, onde esqueço esta angustia imóbil de ser árvore, onde posso acreditar, porque caminhamos juntos como dois irmãos perdidos na neve.

Abraço-te forte,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro