Into your arms



Estou sem fôlego nos teus braços, pairas sobre mim, as tuas asas circundam-me, movem-se lentamente, pairam, pairam… Espreito a tua forma, a tua silueta, a curva do teu peito; espreito mais, tu agarras a nossa sombra.

Procuro o teu calor, o teu mar; flutuo sem esforço, deixo-me levar pela corrente pelas tuas passagens secretas, as tuas cavernas; algures na escuridão, ouço-te.

Sem fôlego, sem fôlego nos teus braço.

Comentários

Maria disse…
Imaginar a forma
doutro ser Na língua,
proferir o seu desejo
O toque inteiro

[A. Ramos Rosa]

Contigo.
Assim tudo,
Damien disse…
À breve, azul cantilena
dos teus olhos quando anoitecem.

[E.de Andrade]

E deles ao amanhecer.
Assim tudo,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Aqui mesmo