Apenas isto



E vou dar-te os meus dias, os meus sonhos, os meus livros, o meu caminho, se tu o desejares.

O sentimento em fuga, agora encontrado, tudo o que te dou, tudo de mim. Peço-te apenas o que não posso dar, não te peço mais do que isto: o teu amar.

Comentários

Maria disse…
Eu nunca imaginara, nem mesmo em sonhos, que o amor pudesse ser uma plenitude tal. Nunca sentira, nem mesmo nos momentos de maior satisfação, nada de semelhante...

Eu já sentira, noutras ocasiões, um pouco disto ou daquilo; não sentira, porém, tudo e tão intensamente...

como se fosse parte de tamanha felicidade, que tudo mergulhasse e se diluísse em mim, na minha carne, no meu sangue, no fundo do meu desejo... Era como se, na vida, nós, de vez em quando, após uma experiência nova, descobríssemos que ainda crescíamos, que ainda não tínhamos deixado de ser crianças. E que havia, dentro de nós, possibilidades infinitas de plenitude.

[Jorge de Sena]

E 'estar contigo ou não estar contigo é a medida do meu tempo'.
Tua,
Damien disse…
Conheço o sal da tua boca, o sal
da tua língua, o sal de teus mamilos,
e o da cintura se encurvando de ancas.

A todo o sal conheço que é só teu,
ou é de mim em ti, ou é de ti em mim,
um cristalino pó de amantes enlaçados.

[Jorge de Sena]

Conheço-te.
Sim, assim mesmo se mede o nosso tempo.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro