Dúvida



Como se o jardim que adoras fosse um incensário a balouçar, o seu incenso a flutuar diante de nós como um acto de reverência. Diz-me mais uma vez o que sentes por mim, o que tu és, sim mesmo tu, eu toco-te, assim; e diz-me que é por tua livre vontade que estás aqui, e que adoras estar aqui mesmo, comigo, sob esta árvore.

Preciso de o ouvir muitas vezes porque duvido naturalmente, é difícil acreditar em tanto amar assim.

Comentários

Maria disse…
amo-te e digo-te
amo-te e quero-te
para além da morte
na vida

estou sempre à tua espera para te amar
e dizer
tu és o meu nome...

[A.Gancho]

Quero-te dentro
da boca do meu coração,
dentro da harpa dos meus pulsos,
a doce carne da manga,
no ouro que baloiça
nas minhas orelhas e pescoço.

Diz o meu nome. Di-lo.
Do modo que é suposto dizê-lo...

[S. Cisneros]

Hoje os versos são para entenderes.
Reparto contigo um óleo inesgotável...

Porque eu amo-te, quer dizer, estou atento
às coisas regulares e irregulares do mundo.
Ou também: eu envio o amor
sob a forma de muitos olhos e ouvidos
a explorar, a conhecer o mundo.

Porque eu amo-te, isto é, eu dou cabo
da escuridão do mundo.

Porque tudo se escreve com a tua letra.

[Fernando Assis Pacheco]

Sim, tudo.
És a medida do meu tempo.
Damien disse…
Hoje sorriem-me a terra e os céus;
sinto no fundo da minha alma o sol;
eu hoje vi-a..., vi-a e ela olhou-me...

[G.A. Bécquer]

Eu hoje vi-te.
E tudo em ti.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro