Ausência



É pequeno o valor da beleza da luz aposentada: diz-lhe que se chegue, ela sofre por ser desejada e não se envergonha de ser admirada. E morre então – o destino comum de todas as coisas raras pode ser lido nela; tão pequena foi a parcela de tempo partilhado.

Comentários

Maria disse…
‎'e, por entre os vultos das árvores que se recortavam contra as paredes brancas dos mosteiros, vi a sombra de um passante, feita pela Lua. Caminhava devagar, com a cabeça ligeiramente curvada, como quem, absorto em pensamentos inúteis sobre o sentido da vida, acompanha um funeral. Era eu.'

[Tiziano Terzani]

E tu estavas lá.
Amo-te,
Damien disse…
Lâminas afiadas de relva voam no vento, o vento é como muitas coisas, emoções, árvores; o vento não tem vergonha, não justifica o que faz, não se arrepende; o vento é o vento, é a sua natureza.

E eu estarei contigo.
Amo-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro