Os dias que restam



As esguias mãos tão suaves, as mãos que tocam aqueles que nascem em determinada noite de vinho brindado e flores evanescentes; as mãos que eu beijo, até ao extremo de cada dedo e delicadamente em redor de cada pulso coloco uma pulseira com os meu lábios; as suaves mãos, minhas por todas as noites que restam, com aquele prazer da descoberta de outras terras, as tuas mãos, minhas pelos dias que restam.

Comentários

Maria disse…
As minhas mãos
abrem cortinas do teu ser
vestem-te com outra nudez
descobrem corpos do teu corpo
As minhas mãos
inventam outro corpo
para o teu corpo

[O. Paz]

Todos os dias.
Contigo,
Damien disse…
Põe a tua mão
Sobre o meu cabelo...
Tudo é ilusão.
Sonhar é sabê-lo.

[F. Pessoa]

Tudo é real, viver contigo é sabê-lo.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro