Presença



Vê, flores, galhos, frutos, folhas que eu trouxe, e então o meu corpo que apenas por ti estremece; com essas tuas mãos suaves, não chores, mas deixa o que sentes prosperar nos teus olhos. Ainda não secou o orvalho sobre o meu cabelo – sinto o vento frio matinal. Aqui ao teu lado, ainda cansado, a sonhar a hora em que nos dissolvemos. Deixa que a minha cabeça, onde ainda soa e ecoa o teu ultimo beijo, descanse sobre o teu peito, até recuperar da emoção tempestuosa – e deixa-me dormir um pouco, descansa.

Comentários

Maria disse…
dormitas-me
no sangue, penetro nos teus olhos e
caio morto sobre o leito de fogo, sonhando
deixo-me repousar em teu peito, dormes
nas pestanas. chamo-te enlouquecido.
estendo-me em teu peito...

[Abd Al-Wahhab Al-Bayati]

Em ti.
Tudo,
Damien disse…
Em ti o meu olhar fez-se alvorada,
E a minha voz fez-se gorgeio de ninho,
E a minha rubra boca apaixonada
Teve a frescura do linho

{F. Espanca]

Em ti.
Tudo mais,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro