Consagração



Ao longo da costa da aflição, pelo desespero do sombrio cardume, ela brilha sobre ele, à tempestade lançado. Tu, inspiradora. Que recitaste o meu renascimento após a viagem acidentada de meia-vida, consagro-te o meu todo.

Comentários

Maria disse…
para brilhar não há como os olhos que nos vêem:
contempla-te em mim que te contemplo.

[O. Paz]

Assim mesmo, contigo.
Tudo,
Damien disse…
Tem o amor a arte de tornar eterno
aquele que por amor tem de morrer
e até de morrer jovem amiúde pois os deuses amam
aquele que perece em plena juventude
e assim se fixa petrifica e permanece

[Ruy Belo]

E assim nos eternizamos.
Contigo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro