Ensaio da visão



Um homem cego recuperado à luz, dificilmente pararia a olhar para uma flor e falaria da sua beleza. Apenas sei a revelação do olhar e a torturante delícia do seu sorriso. O seu menor movimento acorda-me o sangue. Ao olhar sinto nesse mesmo instante o alcance da alma humana em profundidade e altura, em êxtase e dor; tal é o que sinto.

Comentários

Maria disse…
Amo o caminho que estendes por dentro das minhas divisões.

não me importo de adoecer no teu colo
De dormir ao relento entre as tuas mãos.

Amo-te nesta ideia nocturna da luz nas mãos
E quero cair em desuso
Fundir-me completamente.

Amo tão grandemente a ideia do teu rosto que penso ver-te
Voltado para mim
Inclinado como a criança que quer voltar ao chão.

Amo-te como um planeta em rotação difusa

Molda-me a partir do céu da tua boca
Porque pressinto que posso ouvir-te
No firmamento.

[Daniel Faria]

Assim mesmo. Eu estava lá.
Contigo,
Damien disse…
Levar-te à boca,
beber a água
mais funda do teu ser -

se a luz é tanta,
como se pode morrer?

[Eugénio de Andrade]

E eu contigo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro