Espera IV



Adivinhei a tua presença for a de vista e senti a aceleração do sangue. Quando tudo estava negro no interior, chegaram os doces pensamentos como convidados especiais e o tecido nocturno sorriu com um raro prazer: enquanto, erguido de um amanhecer distante, se iluminava o rosto de todas as coisas, como a expressão onírica do sorrir.

Comentários

Maria disse…
Eu dormito e ouço, dormito novamente e ainda, apesar de não o ouvir, o seu sussurrar como a chuva, cai, cai sobre o meu ouvido.
E ainda ao meu lado, com o calor de uma noite de Setembro, eu sinto o seu corpo sob os lençóis a queimar-me os membros da nuca ao calcanhar.

[F.M.]

Exactamente assim...

Contigo,
Damien disse…
A Terra, com os seus milhares de vozes, falava de ti.

Exactamente de ti.

Tudo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro