Espera VII



Eu mergulhei na sua beleza como num rio. Como correu entre fogo e lágrimas a minha vida! Com que pulso bateu o sentimento! Mas o amor nunca se perde em resíduos cardíacos; as suas marés envolvem desertos onde nenhuma folha sobrevive e enriquecem o que se sente nas águas mais amargas e nas mais douradas areias.

Comentários

Maria disse…
aproxima-te pois, agora que já não me cega o destino
e posso encontrar sob os ramos do amor
e nas mais simples coisas que vivem
a eterna beleza...

e uma plenitude de asas cantantes o (nosso) entardecer...

[Yeats in, The Lake Isle of Innisfree]


Abraço-te forte e assim fico,
Damien disse…
O tempo nos aproxima
cada vez mais, nos reduz
a um só verso e uma rima
de mãos e olhos, na luz.

[C.D.de Andrade]

Abraço-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro