Meteoro



Ela não sabia para onde se virar – quando logo viu na profundidade de um porto; a luz solar brincava entre os seus cabelos. Ela apressou-se a apertar o sonho. Sentiu um estranho pulsar, uma nuvem um momento suavizou o olhar – passou – todo o flutuante ser ergueu-se num suspiro.

Como um meteoro, derrama-se o sentimento.

Comentários

Maria disse…
Nem sempre me incendeiam o acordar das ervas e a estrela despenhada

- Porém, tu sempre me incendeias.
Porque é de ti que me vem o fogo.

E em ti
principiam o mar e o mundo.

[Herberto Helder]

É assim mesmo.
Contigo,
Damien disse…
Um beijo em lábios é que se demora
e tremem no abrir-se a dentes línguas
tão penetrantes quanto línguas podem.
Mais beijo é mais. É boca aberta hiante
para de encher-se ao que se mova nela.
É dentes se apertando delicados.
É língua que na boca se agitando
irá de um corpo inteiro descobrir o gosto
e sobretudo o que se oculta em sombras
e nos recantos em cabelos vive.
É beijo tudo o que de lábios seja
quanto de lábios se deseja.

[Jorge de Sena]

E assim.
Tudo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro