Amar chega (para a minha irmã)


Mutsumi Makino

Amar chega: apesar do mundo minguante e da floresta não ter voz tirando a de quem reclama, apesar do céu escuro demais para ser descoberto, apesar das sombras presas aos montes e da maravilha em mar alto.

Este dia retirou um véu sobre todos os nossos actos, no entanto as suas mãos nada tremem, os pés não vacilam; o vazio não deve assustar, o medo não deve alterar esses lábios e os olhos do amado e de quem ama.

Comentários

Maria disse…
Para a tua irmã:

Não tenhas medo do amor. Pousa a tua mão
devagar sobre o peito da terra e sente respirar
no seu seio os nomes das coisas que ali estão a
crescer...

...como uma rede
de veias na confusão de um corpo. A vida nunca
foi só inverno, nunca foi só bruma e desamparo.
Se bem que chova ainda, não te importes: pousa a
tua mão devagar sobre o teu peito e ouve o clamor
da tempestade que faz ruir os muros: explode no
teu coração um amor-perfeito, será doce o seu
pólen na corola de um beijo, não tenhas medo,
hão-de pedir-to quando chegar a primavera.

[Maria R. Pedreira]

Beijos e um abraço forte,
filipa disse…
"The best and most beautiful things in the world cannot be seen or even touched.They must be felt with the heart" Helen Keller

Sempre te senti com muita força.

Aos dois q amam: Obrigada pelas palavras. Valem ouro para mim.
Damien disse…
Além da terra, além do céu
no trampolim do sem-fim das estrelas,
no rastros dos astros,
na magnólia das nebulosas.
Além, muito além do sistema solar
até onde alcançam o pensamento e o coração,
vamos!
vamos conjugar
o verbo fudamental essencial
o verbo transcendente, acima das gramáticas
e do medo e da moeda e da política,
o verbo sempreamar
o verbo pluriamar,
razão de ser e viver.

[C.D.de Andrade]

Nada a agradecer. Está visto que todos (ambos os três) damos o devido valor às palavras e ao que se sente.
Beijos,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco