Lábios



E então abriram-se os lábios para murmurar palavras sem fim, com as quais pareciam cantar, como a voz de pássaros distantes, e, erguendo-se como o eco de coisas sonhadas, tremeram nos lábios, estáticos, quentes...

Apenas conseguíamos sorrir, e nada dissemos.

Comentários

Maria disse…
"...e depois pedi-lhe com os olhos para pedir outra vez sim e depois ele pediu-me se eu queria sim dizer sim minha flor da montanha e primeiro pus os braços à volta dele sim e puxei-o para baixo de mim para que pudesse sentir os meus seios todos perfume sim e o coração batia-lhe como louco e sim eu disse sim eu quero Sim."

James Joyce

Amo-te assim mesmo.
Tudo,
Damien disse…
Por quanto tempo? Nem então
pude sabê-lo.
Sei só que não se ouvia mais que o alento,
que apressado escapava
dos lábios secos.
Só sei que nos voltámos
os dois ao mesmo tempo,
os olhos encontraram-se
e ressoou um beijo.

[G.A.Bécquer]

Amo-te assim mesmo.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco