Flutuação



Escuto apenas o sussurro das folhas íntimas; o furtivo deslizar dos ramos pelo ar lento. Vejo apenas parte do teu queixo ao sol. A luz solar vai-se abatendo sobre nós em silêncio.

Agora, sobre as laminas de relva e encontro mãos brancas entre o verde. O teu rosto floresce entre folhas caídas. O solo agarra-se a ti, ergues-te, exalando terra, inspirando céu, toco-te e seguimos à deriva.

Estamos sós numa imensidão solar, particulas de uma infinita radiância, largadas de cataratas e correntes silenciosas. Dá-me as tuas mãos! Flutuamos.

Comentários

Maria disse…
A idade que escrevo
escreve-se
num braço fincado em ti, uma veia
dentro
da tua árvore.

As mãos carregam a força
desde a raiz
dos braços

uma labareda
fechada, a límpida
ferida que me atravessa desde essa tua leveza
sombria como uma dança até
ao poder com que te toco.

[Herberto Helder]

Tua,
Damien disse…
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

[Alexandre O'Neill]

Teu,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro