Remeniscência



Ela usava um vestido novo cinzento e ali ficamos por causa da tempestade que caía, sentamo-nos.

Parou a chuva e o vidro que antes tinha encenado as nossas personagens moveu-se, ela saiu pela porta: deveria tê-la beijado se a chuva tivesse durado um minuto mais.

Comentários

Maria disse…
"mas desconfio haver de
amar-te
até ao fim do mundo"

Ruy Belo

E beijo-te,
Damien disse…
Ver-te é como ter á minha frente todo o tempo
é tudo serem para mim estradas largas
estradas onde passa o sol poente
é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe se existiu alguma vez
e nem mesmo meço a devastação do meu passado

[Ruy Belo]

E abraço-te,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro