A espera IV



Pulso a pulso, a tua vida na minha, como ondas apressadas em direcção à costa e quebradas em milhões de gotas luminosas. Trazes o sol a cada amanhecer, renovas todos os dias. Bebo inspiração nos teus olhos e acende-se o cérebro: os teus doces olhos de suavidade estelar, através dos quais a imortalidade espreita.

Comentários

Maria disse…
"Como um cometa, passas em curvatura, tangenciando o meu corpo, brilhando e desaparecendo...
Após tanto tempo, talvez não tenhamos mais a simetria dos anjos, porém ganhamos a densidade dos seres.

Temos a geminiana cumplicidade...

Não há mal quando me deito de costas, de olhos fechados e ansiosos, esperando o teu corpo eclipsar o meu."

M. Rollemberg

E beijo-te,
Damien disse…
"As palavras estão muito ditas
e o mundo muito pensado.
Fico ao teu lado.

Não me digas que há futuro
nem passado.
Deixa o presente — claro muro
sem coisas escritas.

Deixa o presente. Não fales,
Não me expliques o presente,
pois é tudo demasiado.

Em águas de eternamente,
o cometa dos meus males
afunda, desarvorado.

Fico ao teu lado."

[Cecília Meireles]

E aí estou.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Do meu universo