As voltas II


A poeira que o vento levantava colidiu com as tuas pernas esguias. O vento que me acariciava enquanto eu seguia um caminho até à pele brilhante que ia surgindo entre tecido esvoaçante. Ficaste sem peso, ergueste as sobrancelhas colocando uma questão. Ouvi-te sussurrar baixinho, enquanto te espreitava.

Comentários

Maria disse…
"o que importa é no corpo da amada
não existir saída."

Gonçalo M. Tavares

Beijo-te,
Damien disse…
Eu, a desejar cem anos olhos nos olhos teus, duzentos a sentir-te; talvez trinta mil para tudo quanto resta. Mil anos pelo menos, para cada pedaço de ti.

Beijo-te,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco