Lua em branco


A estrada, a Lua em branco acima; branca na Lua a estrada que me leva a ti. Ainda pendura a extremidade, ainda, ainda ficam as sombras: os meus pés sobre a poeira lunar seguem o caminho incessante.

O redondo do mundo, diz quem viaja, e a linha recta como o caminho mais desinteressante entre pontos, continua a marchar, o caminho irá guiar alguém de volta.

Comentários

Maria disse…
o nosso amor faz-se de coisas destas

vivo de ti
vives em mim


o caminho é o mesmo
é descrevermos a mesma rota
até ao fim dos dias e das noites


A. Gancho


Beijo-te,
Damien disse…
"A poesia ouve-se na noite rumorosa onde sonham / pássaros azuis e se ouve sempre útil e maliciosa / a voz negra e fundamental do galo"

[António Gancho]

Beijo-te,
Cármen disse…
É esta forma apaixonante de descrever o que o rodeiam, mostrando a nitidez da adaptação da realidade factual para perspectivas interpretativas, que me fazem deliciar cada vez que aqui venho, por mais breves que as suas palavras sejam. Parabéns!
Damien disse…
Muito obrigado, Cármen. A vida e todas as suas coisas fazem mais sentido quando são vividas apaixonadamente.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza