Inércia



O mundo envelhece, já tudo foi dito; os olhos não mais sorriem. Outrora amantes, quando o sentir era novo. O mundo envelhece e todas as lágrimas foram derramadas; ele esqueceu-se de chorar e agora já não faz sentido. A alegria mortal ou a tristeza imortal apenas lhe trazem um breve e aparente êxtase. Já não sente prazer, nem dor. O que faz aqui, quando tudo desapareceu?

Nenhum amanhecer lhe irá trazer qualquer felicidade, nada de novo: o sentir dissolve-se, o sonhador acorda, a ilusão é breve.

Comentários

Maria disse…
"Cada sítio é um filão. Basta andar por aí. Não ter pressa, estar sentado numa casa de chá e observar quem passa, pôr-se a um canto do mercado, ir cortar o cabelo, e depois seguir o fio da meada que pode começar numa palavra, num encontro, no amigo do amigo de uma pessoa com quem acabámos de nos encontrar, e o lugar mais insípido, mais insignificante do planeta, transforma-se num espelho do mundo, numa janela aberta para a vida, num teatro da humanidade diante do qual poderíamos deter-nos sem necessidade de ir a mais sítio nenhum. O filão está exactamente onde nós estamos. Basta cavar." Tiziano Terzani

Mas há quem não saiba cavar, olhar, nem encontrar o centro, onde está o essencial.
Beijo-te,
Damien Hamson disse…
"Esta mão que escreve a ardente melancolia
da idade
é a mesma que se move entre as nascenças da cabeça,
que à imagem do mundo aberta de têmpora
a têmpora
ateia a sumptuosidade do coração."

[Herberto Helder]

Sim, há quem não esteja consciente do tempo que lhe resta nem sequer de quem (e do que) o rodeia. É pena.

Nós não somos assim.
Laura Ferreira disse…
Gostei imenso deste lugar.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Aqui mesmo